A Tesla, fabricante de carros elétricos, tem planos de introduzir no mercado uma nova bateria para carros elétricos, com maior durabilidade e menor custo. O primeiro modelo a receber a nova bateria da Tesla seria o Model 3, na China, no fim deste ano ou no começo de 2021.

Há a expectativa que a nova bateria faça com que o preço dos carros elétricos fique compatível com o valo de carros a combustão. Elas teriam uma vida útil de 1,6 milhão de km antes de demandarem a troca, e ainda poderiam ter um segundo ou terceiro ciclo de vida, após o uso nos automóveis, no sistema de geração e distribuição de energia.

Desde maio, o controverso “chefão” da Tesla, Elon Musk, está provocando rivais e investidores anunciando que iria revelar um significativo avanço nas baterias utilizadas pela montadora de carros elétricos.

A nova superbateria de 1,5 milhão de km da Tesla foi desenvolvida em conjunto com a empresa chinesa Contemporary Amperex technology Ltd (CATL). Especula-se ainda que que, eventualmente, versões melhoras dela poderão ficar ainda mais baratas. Elas inicialmente serão utilizadas na China e depois em outros mercados.

Leia mais:
Como o coronavírus vai afetar a segurança do seu carro daqui a 10 anos
Máscara especial, carro desinfetado: como as fábricas voltarão a produzir
Confira as leis de trânsito alteradas pelo novo coronavírus

Como baratear a bateria da Tesla?

As novas baterias da Tesla terão novas tecnologias como a dispensa de utilização de cobalto – metal mais caro em uma bateria – em sua química e o uso de componentes que reduzem o “estresse” interno, permitindo armazenar mais energia, além de baratear a produção.

A Tesla também irá construir uma “terafábrica” na China, cerca de 30 vezes maior do que a famosa “gigafábrica” que ela tem nos Estados Unidos. A terafábrica seria altamente robotizada e automatizada, o que iria contribuir para a redução de custos e aumentar o volume de produção.

Já a CATL desenvolveu um novo modo de montar as baterias, chamado “cell-to-pack”, o que ajuda na redução de custo e no tamanho e peso delas.

A Tesla também está investindo na reciclagem de baterias para recuperar metais nobres como níquel, lítio e o próprio cobalto. A empresa ainda tem ambição de, com uma frota de 1 milhão de carros, e utilizando as baterias em um segundo ciclo de vida, entrar no segmento de fornecimento e distribuição de energia.

Via: AutoPapo

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here