As cabeceiras das pistas dos aeroportos têm listras paralelas pintadas de branco que lembram bastante uma faixa de pedestres. A diferença é que a travessia a pé por ali é proibida, pois sua função é  a de orientar os pilotos.

Essas faixas delimitam o início da pista de pouso e decolagem, onde o avião se posiciona para iniciar a corrida de decolagem. O ideal é o que os pilotos tenham o máximo de pista à disposição, porque, caso haja alguma falha no avião, conseguem parar a aeronave com mais segurança.

Em alguns aeroportos, há um prolongamento de asfalto sinalizado com algumas setas. Nesses locais, os aviões podem iniciar a corrida de decolagem antes mesmo da “faixa de pedestre”. No entanto, os pousos só podem acontecer após o início da pista propriamente dita.

Além de poder contar com material que não absorveria adequadamente o impacto do pouso, o início da pista é calculado de acordo com obstáculos na rampa de aproximação dos aviões. As aeronaves, no entanto, raramente tocam o solo diretamente na “faixa de pedestre”. Há outras marcações mais à frente que indicam o ponto ideal de toque para a segurança do pouso.

A quantidade de listras paralelas também varia de um aeroporto para outro. Na maioria das pistas que recebem voos comerciais, são 12 linhas pintadas. As maiores pistas chegam a ter 16 listras, enquanto os menores têm apenas quatro.

O tamanho da faixa está relacionado à largura da pista de pouso e decolagem:

4 listras: 18 metros de largura

6 listras: 23 metros de largura

8 listras: 30 metros de largura

12 listras: 45 metros de largura

16 listras: 60 metros de largura

Os pilotos não ficam contando a quantidade de listras que existem na cabeceira da pista. Essa informação já consta das cartas de aproximação do aeroporto. A marcação, no entanto, serve como uma orientação extra.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here