Em tempos de coronavírus, todo cuidado parece ser pouco para preservarmos nossa saúde. Para tanto, aos que ainda precisam se locomover de carro, existem cuidados específicos com o ar-condicionado.

“Desinfetar e fazer a higienização do sistema de ar-condicionado é importante para prevenção contra micro-organismos, e deve ser realizada por profissionais especializados para ajudar no combate ao problema”, informa Pedro Valencio, coordenador de suporte ao cliente aftermarket da Delphi, fornecedora do sistema para o mercado automotivo.

Como a doença é nova, ainda não se sabe como ela se comporta. Contudo, a fabricante esclarece que os cuidados com a higienização do sistema contribuem para a prevenção do coronavírus, assim como moléstias no geral.

A limpeza especializada do ar-condicionado do carro envolve um processo de oxi-sanitização, afirma o coordenador. O método ainda não foi testado especificamente contra o Covid-19, mas não deixa de ser uma opção interessante, segundo a fornecedora.

Troque o filtro de cabine

Outra recomendação é a substituição do filtro de cabine, parte do sistema de ar-condicionado.

Junto a isso, também deve ser feita a higienização interna do carro. “Este tipo de filtro é construído de um material sintético e tem a capacidade de reter micro-organismos”, explica Valencio.

A recomendação é a mesma que já se faz na manutenção correta de um veículo, na qual ele deve ser trocado toda vez que o óleo for substituído.

Entretanto, devido ao maior risco durante a pandemia de coronavírus, pode ser uma boa ideia fazer essa troca.

Mantenha a janela aberta para evitar coronavírus

Ao utilizar o carro, também é interessante manter as janelas abertas. Isso promove a circulação de ar na cabine, impedindo o acúmulo de micro-organismos.

“Para melhor desempenho do sistema ar-condicionado, é ideal regular o sistema na temperatura mais fria e utilizar a ventoinha interna com menos velocidade, pois os vidros do carro estarão abertos”, completa Valencio.

Ar-condicionado parado durante quarentena do coronavírus

Outra preocupação de donos de carro durante a quarentena de coronavírus é deixar o automóvel parado por muito tempo. Nesses casos, pode haver a possibilidade de o ar-condicionado dar defeito.

Contudo, isso só ocorre se o sistema já estiver mal cuidado, explica Valencio. Especialmente se o óleo lubrificante e o fluido refrigerante não forem de qualidade, detalha ele.

“Considerando um período de quarentena haveria uma oxidação nas placas do compressor e válvulas. Certamente, o sistema perderá eficiência”, pontua o coordenador da Delphi.

Nessa situação, segundo ele, sete dias já podem ser suficientes para o ar-condicionado estragar, se houver umidade dentro dele.

Esses defeitos incluem oxidação nas placas do compressor, ressecamento de mangueiras, danos nos dispositivos de expansão, entre outros, segundo o especialista.

Ao contrário, se o ar-condicionado estiver com a manutenção em dia, ele não deve dar defeito, por ser um sistema fechado. Assim, suportaria a quarentena do coronavírus, de acordo com Valencio.

Mantenha o ar-condicionado funcionado

Caso o dono do carro não saiba se o seu ar-condicionado está em boas condições ou não, o especialista dá algumas dicas para garantir que ele não vá pifar durante a pandemia de coronavírus.

“A sugestão é ligar o veículo acionando o ar-condicionado em intervalos de dois a três dias para evitar algum tipo de oxidação nas placas internas dos compressores”, aponta Valencio.

Com isso, ocorrerá a lubrificação do sistema. “Além disso, é importante procurar sempre realizar as manutenções corretas do sistema para evitar problemas”, conclui ele.

Fonte: AutoPapo

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here