Lembra-se da época em que praticamente tudo em um automóvel era opcional? Até não muito tempo atrás, era comum que itens hoje considerados banais, como aparelho de som, vidros elétricos e até espelho retrovisor do lado direito, não viessem de fábrica.

Todavia, apesar da evolução do mercado, carros equipados ainda não são comuns em todos os segmentos.

Conheça 5 equipamentos aparentemente banais que, inacreditavelmente, ainda são cobrados à parte. Claro, também revelamos quais carros não vêm de fábrica com eles. E olha que nem estamos nos referindo a sistemas de ar-condicionado ou de direção assistida: os itens da relação são muito mais banais, já incorporados até nos veículos mais populares.

Preparação para som

Carros que não são equipados com preparação para som: Fiat Mobi Easy, Fiat Uno Attractive, Chevrolet Montana LS e Volkswagen Gol 1.0

O item em questão aqui nem é o sistema de som inteiro, mas apenas alto-falantes e cabeamento. Mesmo nos (atualmente poucos) modelos que não trazem o aparelho de rádio, costuma existir o restante da estrutura. Esse, porém, não é o caso das versões de entrada de Fiat Mobi e Uno, Chevrolet Montana e Volkswagen Gol.

No caso da Fiat, os carros podem ser equipados opcionalmente com 4 alto-falantes, 2 tweets e antena, mas os pacotes variam. No Mobi Easy (cujo preço sugerido é de R$ 34.990), ambos são vendidos em kit chamado Funcional, que agrega outras comodidades e adiciona R$ 2.240 ao valor final. Já o Uno Attractive (R$ 44.190) traz os mesmos itens separadamente no kit Predisposição para Som, ao custo extra de R$ 670.

Já o Volkswagen Gol 1.0 (R$ 48.090) só traz esses itens se o comprador optar pelo aparelho de som “Media Plus”, com rádio, bluetooth, MP3 e entradas USB, por R$ 1.080. Ou pelo sistema Composition Touch, que traz central multimídia com tela sensível ao toque e conectividade com celulares e ainda acrescenta computador de bordo, por R$ 2.150.

Por sua vez, a Chevrolet Montana LS (R$ 57.150) não disponibiliza a preparação para som nem opcionalmente. Para tê-la, é preciso pular para a versão Sport (R$ 68.490), que a traz junto com rádio com MP3/WMA player, Bluetooth e entrada USB. Em todos esses casos, para ter um carro equipado, muitos vão preferir ir a uma loja de acessórios.

Conta-giros

Carros que não são equipados com conta-giros: Renault Kwid Life e Zen

Comuns até os anos 90, os painéis de instrumentos sem conta-giros entraram rapidamente em extinção a partir da década seguinte. Porém, ainda seguem vivos no Renault Kwid.

Não apenas a versão de entrada Life (R$ 34.990), como também a segunda do catálogo, a Zen (R$ 39.990), são desprovidas desse marcador. A Renault só disponibiliza tal item para as configurações Intense (R$ 43.190) e Outsider (R$ 45.990) do subcompacto.

Limpador, lavador e desembaçador do vidro traseiro

Carros que não são equipados com limpador, lavador e desembaçador do vidro traseiro: Fiat Mobi Easy, Like e Way, Fiat Uno Attractive e Ford Ka S

Carros com determinados tipos de carroceria precisam ser equipados com limpador, lavador e desembaçador traseiros, pois o vidro posterior suja bastante devido ao efeito aerodinâmico. Porém, esse não é o caso dos Fiat Mobi Easy e Uno Attractive e do Ford Ka S.

No caso do Mobi Easy, limpador, lavador e desembaçador do vidro traseiro estão incluídos no já citado kit Funcional (R$ 2.240), que adiciona ainda a preparação para som, além de vidros elétricos dianteiros e travas elétricas. Por outro lado, o Uno Attractive e as versões Like e Way do Mobi disponibilizam só os equipamentos para o vidro traseiro em um kit específico, chamado Visibilidade: custa R$ 670 para o primeiro modelo e R$ 620 para os demais.

Já o Ford Ka S (R$ 47.430) não permite adquirir esses itens nem pagando à parte. A única solução é optar pela versão seguinte, a SE (R$ 48.240), que traz limpador, lavador e desembaçador traseiros de série.

Terceira luz de freio (brake light)

Carros que não são equipados com terceira luz de freio: Volkswagen Saveiro Robust

Enquadradas como veículos comerciais, as picapes compactas disputam um mercado à parte. Nas versões de entrada, elas são adquiridas, principalmente, por frotistas e utilizadas estritamente para o transporte de carga. Desse modo, é comum serem menos equipadas que hatches e sedãs. Mas alguns modelos exageram: a Volkswagen Saveiro Robust, por exemplo, não vem de fábrica sequer com terceira luz de freio.

Também conhecido pelo termo em inglês brake light, esse recurso é bastante simples, mas tem eficiência comprovada para evitar colisões traseiras. Porém, quem fizer questão dele em uma Volkswagen Saveiro Robust (R$ 54.370) terá que desembolsar R$ 7.610 por um pacote opcional que inclui anda ar-condicionado, chave do tipo canivete, direção hidráulica, grade protetora da janela traseira, iluminação da caçamba, travas e vidros elétricos. 

Ar quente

Carros que não são equipados com ar quente: Fiat Fiorino 1.4 Evo e Fiat Mobi Easy

Veja bem: o caso aqui nem é de ausência de ar-condicionado e, consequentemente, da possibilidade de ajustar o aparelho para baixas ou altas temperaturas. A questão é a falta de ar-quente, que está presente (ou melhor, deveria estar) mesmo em carros que não são equipados com o climatizador.

Pouca gente sabe, mas o ar quente tem função importante: conjugado à ventilação do veículo, é o recurso mais eficiente para desembaçar o para-brisa em dias chuvosos. Isso, sem falar na sua utilidade em regiões mais frias, como no Sul do Brasil.

Entretanto, há dois carros vendidos no país que não são equipados com o ar quente. Um deles é o Fiat Fiorino, que na versão de entrada (chamada apenas de 1.4 Evo, tabelada em R$ 66.290), cobra R$ 600 pelo item.

Já parece exagero vender esse recurso opcionalmente em um furgão comercial, certo? Pois saiba que isso ocorre ainda com um hatch subcompacto: o Mobi Easy (R$ 34.990), também da fabricante italiana, que exige o desembolso de R$ 690 extras por ele.

Fonte: AutoPapo

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here